Qual a importância da Análise SWOT ou FOFA para o seu negócio?

Mas afinal, o que é a análise SWOT ou análise FOFA?

A análise ou matriz SWOT – em português, análise ou matriz FOFA – é um método de planejamento estratégico que engloba a análise de cenários para a tomada de decisões.

Foi criada nos anos 60 por Albert Humphrey, na Universidade de Stanford. Por lá, o consultor de empresas liderou um projeto de pesquisa que analisou e cruzou sistematicamente os dados das 500 maiores corporações relatadas pela revista Fortune da época.

Desde então, a ferramenta já foi aprimorada e adaptada a diversas operações devido à sua popularidade, rapidez e resultados efetivos. Consiste na observação de quatro fatores: dos termos em inglês strengths, weaknessesopportunities e threats. Em português:

  • Forças;
  • Oportunidades;
  • Fraquezas;
  • Ameaças.

As forças e fraquezas dizem respeito ao tomador de decisão e fatores internos do negócio – ou seja, você e sua empresa. Já as oportunidades e ameaças falam sobre fatores externos, que estão fora do seu controle. Na análise SWOT, esses dois cenários são conhecidos como ambiente interno e ambiente externo, respectivamente.

A matriz FOFA é um sistema relativamente simples de usar e que fornece um grande detalhamento da situação, abrangendo circunstâncias como a criação de produtos em uma pequena empresa até a gestão de uma multinacional. Contudo, para que ela realmente faça efeito, precisa ter seus termos estudados separadamente – conforme o que faremos a seguir!

Ambiente interno

Forças

São as vantagens que sua empresa possui em relação aos concorrentes. Seus diferenciais competitivos, as aptidões mais fortes do seu negócio. Podem dizer respeito também aos elementos internos que beneficiam o seu empreendimento ou fatores que estão sob o seu controle – que você consegue, por exemplo, decidir se mantém ou não.

Algumas perguntas que você pode fazer a si mesmo são:

  • Quais são as minhas melhores atividades/produtos/serviços?
  • Qual é a minha maior vantagem competitiva?
  • O quão felizes meus clientes estão?
Fraquezas

São pontos que podem prejudicar e/ou interferir negativamente no andamento da empresa. Essa etapa exige muita sinceridade por parte do realizador da análise SWOT, afinal, é preciso identificar esses, digamos, “defeitos” do seu negócio para que o método faça sentido.

As fraquezas encontradas, então, precisam ser examinadas e observadas de forma individual. Assim, será possível resolver os problemas que elas estão gerando. Caso não seja possível solucioná-los a curto prazo, o recomendado é tentar ao menos reduzir seus efeitos ou contorná-los, para que eles estejam mais próximos de ser uma força do que uma fraqueza.

Algumas perguntas que você pode fazer a si mesmo são:

  • Por que meu concorrente foi escolhido ao invés de mim?
  • Meus funcionários são os ideais para esse trabalho?
  • Por que meus clientes não estão engajados?

Ambiente externo

Oportunidades

Nada mais são do que forças externas que impactam positivamente a sua empresa. Você não pode controlá-las, mas pode usufruir delas – desde que sejam reais e possuam embasamento em pesquisas ou estudos.

Além disso, elas podem surgir a qualquer momento, e o ideal é que você esteja preparado! Estamos falando de eventos como uma parceria com o seu concorrente, uma joint-venture, uma tendência ou modismo que aumente o consumo do seu produto, mudanças na política econômica do governo, novas leis e até mesmo uma pandemia, pode acreditar!

Ameaças

São o contrário das oportunidades: forças externas que influenciam negativamente o seu negócio. Do que você tem medo? Se isso acontecer realmente, já sabe o que fazer? É necessário pensar em possíveis eventos que prejudicariam seus lucros e o empreendimento como um todo.

Exemplos:

  • Escassez de mão de obra;
  • Catástrofes naturais;
  • Roubo de dados;
  • Uma pandemia, como o novo Coronavírus;
  • Novos e melhores concorrentes, entre outros.

 

Quem pode realizar a análise FOFA?

Qualquer pessoa, desde que ela saiba no que está metida! Apesar de ser um método de gestão de projetos, a análise SWOT não está restrita a gestores e líderes. Ela será – geralmente – performada por pessoas que estão por dentro da situação a ser estudada.

O processo todo torna-se mais rico, no entanto, quando há uma verdadeira equipe unida e ocupada em levantar informações e montar todo o esquema. Por quê? Porque assim diferentes versões do mesmo fato são obtidas, alimentando a sua análise através de diversos ângulos.

 

Que tal montar sua análise SWOT!

Após todos os conceitos compreendidos, chegou a hora de criar sua análise SWOT. Para que tudo seja mais facilmente compreendido, utilizaremos uma empresa que vende produtos BtoB, ou seja que vende produtos e serviços para outras empresas.

Lembrando que você pode ver essa mesma estrutura de maneiras diferentes por aí. Como falamos, a análise SWOT pode ser adaptada e modificada mediante o tipo do seu negócio ou seu objetivo principal.

  1. Identifique seu objeto de estudo

Bom, a matriz SWOT funciona melhor quando temos um objetivo claro e definido como objeto de análise. Esse objetivo, porém, precisa ser abrangente o suficiente para que valha o exercício em si.

Seguindo o exemplo da empresa citada, a questão é: “qual é a estratégia e quais ações são prioritárias para o negócio?” A pergunta é esta. E não algo como “o que podemos fazer para melhorar?” ou “quais medidas são necessárias para melhorar?”.

A ideia é analisar se a estratégia agregará valor à marca ou não. Logo, uma ideia estará em debate.

  1. Pesquise sobre

A pesquisa pode envolver números internos da empresa, históricos de vendas, canais de vendas mais eficientes, lucratividade sobre produtos, pesquisas de satisfação de cliente, participação de mercado, entre outras questões. Para o caso do estudo proposto, é importante observar:

  • Qual é o tamanho do mercado e participação da empresa atualmente;
  • Quais produtos ou serviços são o carro chefe e de melhor aceitação no mercado;
  • O que realmente acredito que é bem feito e o que precisa de melhorias.

 

  1. Faça brainstorming com a equipe

brainstorming com a equipe é essencial para descobrir – ou ao menos tentar – todas as variáveis possíveis. Comece com questões óbvias como “será que nossos clientes gostam de nossos produtos?” e alongue os tópicos até chegar a ideias criativas e mais específicas para tanto. A ideia é gastar um bom tempo nisso, afinal, você quer encontrar os fatores mais importantes que o levarão a tomar a decisão mais acertada.

O ideal é que, nesse momento, você já tenha um quadro/esboço/template da matriz FOFA para ir jogando as respostas. E sim, o brainstorming vai englobar todos os conceitos que listamos anteriormente: ambiente externo e interno, forças, fraquezas, oportunidades e ameaças.

Além disso, pergunte-se durante o exercício:

  • Forças podem alavancar quais oportunidades?
  • Forças podem minimizar ou combater quais ameaças?
  • Fraquezas podem prejudicar quais oportunidades?
  • Fraquezas podem potencializar quais ameaças?
  1. Utilize a metodologia do Model Canvas (Busines Model Generation)

Através do Canvas BMG, você poderá gerar o modelo de negócio, ou seja, como entender como funciona a empresa, levando em conta os 9 elementos que compõem qualquer negócio. É importante identificar como a empresa se relaciona, e se realmente há clareza na relação desses elementos. São eles:

  • Segmento de clientes
  • Proposta de Valor
  • Canais de vendas
  • Relacionamento com clientes
  • Fontes de receita
  • Atividades-chave
  • Recursos-chave
  • Parcerias-chave
  • Estrutura de custos
  1. Refine os resultados do brainstorming no Canvas

Finalizado o Canvas BMG, é possível visualizar inúmeras oportunidades e também quais as principais ameaças. Corte as suposições e “achismos” e anote os dados concretos e fatores que chamaram mais a atenção.

É hora de “passar a limpo” o quadro da matriz SWOT, tornando suas respostas para cada conceito o mais específicas possível.

É importante mapear os indicadores mais importantes de cada elemento do Canvas e priorizar as ações. Normalmente recomenda-se que não pode se passar de cinco para cada variável da SWOT (Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças). Com isso é possível priorizar planos de ação.

Outro ponto fundamental é mapear a importância, o impacto e a tendência de cada variável, pois é fundamental saber o que é mais importante para a execução da estratégia. Alguns softwares ajudam a definir esses critérios, ponderando por grau de importância cada varável mapeada.

  1. Defina os próximos passos

Com o quadro organizado, você terá uma visão completa e assertiva de suas forças, fraquezas, oportunidades e ameaças. Agora, é analisar e partir para executar cada ação planejada.

A execução dos planos é o mais importante, e por consequência o mais difícil. Em cada plano é fundamental definir ações concretas e possíveis de serem realizadas com os recursos disponíveis. Também é importante definir objetivos (onde se quer chegar), quais recursos serão necessários, quem será o responsável, o prazo de conclusão e se haverá custo para implementação dessa estratégia.

 

 

Pronto para implementar sua estratégia?

Independente dos recursos que sua empresa dispõe, o planejamento e utilização de metodologias de sucesso são fundamentais para a implementação da estratégia. Tem que ter energia e foco em resultados. A Análise SWOT pode ajudar a trazer maior clareza para mudanças e soluções de problemas que a empresa está enfrentando. Pode ser o início para um caminho de crescimento em um negócio que está iniciando ou mesmo revisar um negócio em andamento. Ou até para encontrar uma solução criativa ou “tirar a teima” sobre determinado assunto.

Pode acreditar, muitos negócios chegaram a conclusões surpreendentes por meio do método. Principalmente pela ferramenta fornecer – além da análise micro de uma situação – uma visão macro do seu empreendimento, fazendo um verdadeiro raio-X do que você tem de melhor e do que ainda pode aprimorar!

Às vezes o que você considera um problema pequeno pode estar enfraquecendo seus pontos positivos ou algo que passou batido pode sanar uma dificuldade.

Portanto, mãos à obra, que a época exige estratégia e decisões certas! Se precisar conte com um especialista no assunto ou uma Consultoria que oriente e ajude seu negócio.

Boa sorte neste desafio!

 

Nivaldo Coletti é consultor e instrutor de treinamento empresarial em metodologias de sucesso em vendas!

Fonte: RD Station

 

Na Sul Consulting trabalhamos com Marketing Digital de Resultados, utilizando ferramentas de relacionamento e inbound marketing como RD Station, estratégias de SEO e copywriting aliadas a mídia paga. É trabalho de inteligência comercial, que traz resultados de imediato e garante o melhor custo-benefício ao cliente.

 

Deixe uma resposta

Como podemos te ajudar?

Entre em contato conosco e levaremos até você as melhores soluções em Consultoria em vendas.

Precisa implementar metodologias de sucesso em vendas?

Treinamentos de vendas de alta performance